1.11.10

FADO



Disseram que tudo está escrito
Cora Coralina disse: se tudo está escrito, o que sobrou pra mim?
digo que o fado mais triste pode ser mudado num jogo de dados
dando tratos a bola
bolando coisas de travéz pra atravessar
as linhas trançadas do destino
porque:
em não as comendo as traças
podem arrebentar
bifurcar
errar em diversas saidas
das tripas ilusão sim e talvez
a vez do próximo
mover-se em duplo sentido
o tido e o querido
o rido e o chorado
versado em versos raros afirmo:
tudo ainda tem que ser escrito
nada do que foi dito está concluido
o fito carece de confirmo
a afirmação abre pra dúvida
a vida é dádiva
mas também é lágrima
a grama as vezes esconde a lama
a certeza de quem ama esvai
num ai
aí tem que pegar outra direção
outra intenção
outra atenção
outra ação
mesmo sofrendo feito cão escorraçado
a raça do vencedor
de quem quebra a dor
dobra uma esquina
quina pro azar
arranja outros quinhentos
outros ventos
e vai ser grande nesta vida!

14.10.10

OSCAR



A Porca Pig,
Fantoche do Sapo Barbudo.
O Senhor Burns,
Politicamente incorreto.
Concorrem ao Oscar.
Você já viu estes filmes?
Seu voto vai para quem?

10.10.10

SEM RUMO



Sem partido
Atalhado
Em mil direções
Perdido do bando
Bandido de banda
Bandalho
Alheio
Sem enleio
Leio e nem engendro
Dramomaníaco ando sem razão
Egresso dos meus recônditos
Dito desditos
Em desatino
Em recesso
Roo o osso
Cioso pouco posso
Passo por mim desconhecido
Amanhecido
Esqueço os sonhos que me povoaram o sono.

5.10.10

ORDEM E PROGRESSO




Reféns,
De um Presidente omisso,
Vendedor, mascate do Etanol,
que nunca vê o que está acontecendo;
De um Congresso Balcão de Negócios,
Partidários, Públicos, Privados;
De Parlamentares corrompidos pelo sistema;
Lobistas Vorazes,
Oferecendo Propina,
Propalando Verbas.,
Cobrando Influências,
Beneficiando Empreiteiras,
Viciadas em ganhar Concorrências,
Fraudando os Cofres Públicos,
Frustrando o Contribuinte,
Não construindo o que prometem.
Esperando uma escola,
Ficamos burros;
Um hospital,
Morremos nas filas;
Uma estrada,
Derrapamos na curva mal traçada;
Caimos na vala negra
Dos esgotos à céu aberto.
Que nada disso importa, já sabemos.
O ministro aceita a verba e compra outra fazenda, mata a mata e planta, boi, soja.
A ministra diz: Relaxa e goza!
Trancados dentro de casa, o cidadão que paga seus impostos, para que a máquina do estado funcione, com medo de sair à rua para não ser assaltado pelo adolescente que não freqüenta uma escola que não oferece perspectiva de futuro que se arma e sai roubando um celular um relógio qualquer para dar de comer ao filho não esperado esperando na casa destas amontoadas em construções mal acabadas de cubículos espremidas nas subidas dos morros da cidade crescendo sabendo das dificuldade que terão de enfrentar pela sobrevivência desleal e por causa disto é preso é espancado é atirado em delegacias superlotadas vai pro presídio-escola de pós-graduação do crime e espera de um julgamento que nunca sai porque...
O juiz legisla em causa própria, e...
Quando apanhado no desvio da verba vai pra Miami,
não é julgado,
é aposentado,
com direito a vencimentos de Magistrado.
Assim, ficamos assim:
Reféns:
Dos traficantes
que fecham as vias de acesso aos aeroportos,
porque fica a meio caminho do caminho do seu comércio,
armas e drogas.
Dos controladores de vôo,
Que brigam para ver quem tem controle sobre o espaço aéreo,
Civis ou militares.
Então, não entramos no avião,
Porque eles não decolam.
Não podemos sair do aeroporto,
Porque os traficantes querem as estradas livres,
E de dentro dos presídios,
Pelo celular, o comparça apenado, pego no desvio,
exige resgate por falsos seqüestros.
Dentro do carro,
Pagamos aos cartéis da gasolina adulterada,
E emperramos o caminhão
Nas estradas esburacadas,
Onde as riquezas do país não rodam.
Cúmplices no conluio da corja dos vendilhões do templo,
Fatiando nossa Amazônia,
Enriquecendo na troca, em espécie,
Das espécies, únicas, que lá existem,
Assistimos, Impávidos Colosso,
A ruína dos destroços,
Pelas imagens digitais
Da Rede Globo,
Da nossa incompetência
Para administrar
O Paraíso Tropical,
Que desde a carta de Pero Vaz de Caminha,
Diz que ....nesta terra,
em se plantando tudo dá......
Dá sim, pros outros.... pros Gorilões, os Poderosos.
E pra nós, o zé povinho,
Brava Gente Brasileira,
que faz desta terra,
Com o suor e os calos na mão,
O Gigante Pela Própria Natureza,
Sobra o que, do Progresso?....
Abre o cú que vai o resto.


(texto escrito e publicado no blog em 2007, que volta na íntegra, porque cabe nestes tempos de eleiçôes de cartas marcadas.)

23.9.10

DECLARAÇÃO DE AMOR AO BRASIL



PROMULGO SOB A PROTEÇÃO DE DEUS TODO PODEROSO, DE JESUS CRISTO E DO ESPÍRITO SANTO ESTA DECLARAÇÃO DE AMOR AO BRASIL:

VEJO NO ROSTO DE CADA CRIANÇA UM FUTURO MELHOR PARA NÓS TODOS.

TENHO CERTEZA DE QUE AINDA VAMOS FAZER DO BRASIL UMA PÁTRIA JUSTA FRATERNA IGUALITÁRIA PLURALISTA SOBERANA DEMOCRÁTICA E SOLIDÁRIA PARA TODOS.

SONHO COM UM GOVERNO QUE LUTE CONTRA A POBREZA, A MISÉRIA SOCIAL E INTELECTUAL DO NOSSO POVO ELIMINANDO OS PRECONCEITOS E AS DESIGUALDADES.

SONHO COM UM ESTADO DEMOCRÁTICO, EM CONSTANTE PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO.

SONHO COM CRIANÇAS APRENDENDO A ASSIMILAR, QUESTIONAR E POR EM PRÁTICA A CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS.

TENHO CERTEZA QUE PODEMOS CONSTRUIR UM BRASIL MELHOR E IMPACTAR TODAS AS NAÇÕES DA TERRA COM NOSSA QUALIDADE DE VIDA.

SONHO COM O BRASIL LEVANDO ESPERANÇA, JUSTIÇA, PAZ E VERDADE ÀS OUTRAS NAÇÕES E ILUMINANDO OS CONFINS DESTE PLANETA.

NÃO SEREMOS GRANDES EXPLORADORES DO ESPAÇO SIDERAL E SUAS GALÁXIAS, MAS NÃO MEDIREMOS RIQUEZAS PARA LEVAR ESPERANÇA E VIDA ATÉ OS NECESSITADOS, AFLITOS, ESQUECIDOS E REJEITADOS DE TODA A TERRA.


21.9.10

R E L I G I Ã O



A religião, a religação com o Divino, o nosso lado menino, aquilo que nos faz inocentes, crentes, a nossa fé, ficou fraca, meteu o pé na jaca, levou rasteira na feira de indulgências, a Torre de Babel de todas as línguas soltas, na voz de alguns espertalhões. Os vendilhões do templo enriquecem, mas querem mais, anéis, coronéis cartéis. Reis de reinos sem dono, momos de seu poder, derrubam fronteiras, esbravejando asneiras versadas nos livros ditos sagrados, fazem o que é preciso, até vender lotes no paraíso para manter seu poder e não perder o conquistado, o explorado filão, libertar o coração do fiel, a fel e fogo, no fogo cruzado, do fogo do inferno, o reino do Satã. Em Bagdá, homens bombas explodem em nome de Alá. Lá em Jerusalém lutam pelas relíquias de Jesus. Credo em cruz, uzeiros e vezeiros, posseiros dos supostos dons superiores, os padres, molestam criancinhas, benzem e dizem amém. Além, logo ali, ao lado, os pastores deixam as ovelhas pastando, pegam em armas, como se se preparassem para um Apocalipse de lobos. Lobistas de milagres celestiais, os tais, dão as costas ao sofrimento terreno e aumentam seu imenso latifúndio no reino do céu, aqui mesmo, nesta terra de Deus.

ASSOMBROS




Quatro questões que assombram nossas vidas e determinam nossa sanidade mental:

1- Sabemos que vamos morrer

2- Somos livres para viver como desejamos

3- Nossa solidão é intrínseca

4- A vida não tem sentido

Nossas maiores angústias e dificuldades advêm da maneira como lidamos com nossa finitude, com nossa liberdade, com nossa solidão e com a gratuidade da vida!

4.4.10